Você conhece a banda Leaving Eden?

Leia mais

Novo vídeo da banda Kamelot: Liar, liar

Leia mais

Novo vídeo da banda Angra

Leia mais

07 março 2015

Feliz Dia Internacional da Mulher: A mística mulher-guerreira Joana D'arc

Primeiro, gostaria como blogueira, de deixar minha mensagem e saudação à todas as mulheres que sempre estão ligadas nos meus blogs:


Que nós possamos abraçar a liberdade que conquistamos com anos de luta pela igualdade de gênero e tantos sacrifícios derramados como sangue em prol de que possamos hoje ser o que somos.

Respeitemos pois o sacrifício de tantas mulheres que nos permitiram estar hoje desfrutando da vitória de uma das tantas batalhas que ganhamos e que ainda vamos ganhar!!!!
Agora apresento o nosso post dedicado a este dia, no qual foi eleita uma incrível mulher dentre tantas presentes na história da humanidade: Joana D'arc, grande figura que habita a dualidade do imaginário e do real, do místico, do sobrenatural, uma camponesa que liderou um grande exército na Guerra dos Cem Anos, na batalha da França contra a Inglaterra.
Nascida em 6 de janeiro de 1412 na aldeia de Domremi, (Lorena), a jovem Joana era analfabeta e pobre, além de uma devotada a sua religião. Joana frequentava o retiro que sempre fazia "nas ruínas do Cemitério de Nossa Senhora de Vermout", que se localizava em uma linda colina "cercada por antiga floresta de carvalhos (...) e lugar consagrado outrora à celebração de ritos pagãos", onde por aqueles caminhos, localizava-se por entre a "faia adrede ornada de fitas e grinaldas (...), a denominada árvore das fadas". 

Lá, no período da primavera, o povo "executava danças e cerimônias religiosas". Aos sábados, Joana D'arc caminhava por aquele lugar mágico e lá ascendia velas "à imagem da Virgem no bosque, vizinho ao local onde pastorava as ovelhas de seu pai".

Na biografia da jovem guerreira, aquele lugar seria aonde as visões do Arcanjo Miguel, Santa Catarina e Santa Margarida lhe instigaria a lutar pela "libertação de seu pais dos invasores". Ninguém acreditava nas palavras daquela jovem, que passou por terríveis testes para provar que dizia a verdade. Muitos diziam que Joana não passava de uma feiticeira, lunática... Dentre os "testes" pelos quais Joana teve que passar, o pior ou mais humilhante "foi o de sua honra (...) Procedeu ao exame e anunciou á corte reunida que a jovem aldeã era uma santa virgem (...) Joana foi submetida a exame perante altas autoridades eclesiásticas, e declarada ortodoxa".

Em seguida, munida da "espada de Carlos Martel", com uma armadura digna dos grandes cavaleiros, "porta-estandarte e cavalo preto". Lutou e elevou o nome da França como uma bandeira a esfregar nas caras dos inimigos e principalmente, daqueles que não acreditavam em suas palavras. Mas a traição parece-nos estar na alma humana. Deixaram a pobre Joana nas mãos de seus inimigos. "Ferida no cerco de Paris, ficou prisioneira em 1430 (...) entregue ao bispo de Beauvais, Pedro Cauchon, mediante 10 mil libras".

Logo Filipe, O Bom não aguentou a pressão poderosa do clero com a alegação de que a "fé estaria em perigo se a donzela não fosse condenada ao suplício fogo". Começava o martírio da heroína convertida agora em bruxa maldita. As torturas constantes foram o começo de seu sofrimento. Os sufocantes interrogatórios e os abusos cometidos pelos soldados contra a sua honra, fizeram-na desejar a morte inúmeras vezes.

Por não saber ler, enganaram Joana, dizendo-lhes que assinando tal papel em forma de cruz, estaria prometendo "nunca mais usar armas, nem vestir-se com trajos de homem". Contudo, era uma confissão de que a pobre camponesa e arruinada guerreira era "herética, cismática, idólatra e feiticeira".

Consequentemente, o lado sobrenatural de Joana instigou o medo nas pessoas. Ou o preconceito oriundo do pensamento machista daquela sociedade. Joana era mulher, virgem, que dizia ouvir vozes de seres celestiais. Comandou como um bravo guerreira as tropas francesas rumo à vitória... Os seus feitos deveriam ser vistos com maus olhos. Nunca uma mulher poderia ser lembrada na história da maneira como discorreu a vida de Joana. Então, seus algozes condenaram-na à fogueira, em 30 de maio de 1431. Ninguém veio resgatar a brava guerreira que lutou pela liberdade de seu povo.

Nenhuma glória em sua morte. Suas cinzas, para que não houvesse nenhum tipo de veneração, foram lançadas nas águas do rio Sena. 25 anos depois do fato ocorrido, Carlos VII decide rever o processo contra Joana e ele é declarado nulo. Mas ela já está morta? O que fazer para lembrar de sua imagem? Como ligar a figura mística de Joana a história da França, a história do mundo, a história da mulher?

O papa Pio X, em 18 de abril de 1909, decreta que Joana D'arc é "bem-aventurada", ou seja, inicia-se o seu processo de beatificação. Em 16 de maio de 1920 Joana é canonizada. Para os católicos, o dia da santa é 30 de maio.

Oração a Santa Joana D'arc

Ó mais pura Virgem e Gloriosa mártir Santa Joana da qual Deus e Seu Eterno Poder tem revelado para o mundo de modo a reviver a fé, a esperança e a caridade das almas cristãs. Eu me prostro a vossos pés minha querida santa, digna ,virgem, cheia de graça e bondade e peço que receba as orações deste seu humilde servo e obtenha para mim a pureza de teu terrível sacrifício e a fortaleza de sua alma e faça com que eu resista aos mais terríveis ataques e que eu venha a sentir este seu amor ardente para o Nosso Senhor Jesus Cristo, amor este que os mais terríveis tormentos não o fez extinguir em ti .

Assim espero que seguindo este exemplo santo e imitando sua vida, eu possa um dia estar contigo no paraíso. Na hora de minha agonia final venha em meu socorro, fique ao meu lado e me conduza a presença de Jesus. Amem.

santajoanadarc
Oração a Santa Joana D'arc

Senhor,

Suplicamos-Lhe o perdão dos nossos pecados pela intercessão de Santa Joana , virgem e mártir, pela sua castidade de vida e cada virtude que a tornou agradável aos Seu olhos. Amém. Santa Joana, eis-me aqui, prostrado diante do trono em que apraz à Santíssima Trindade colocá-la.
Cheio de confiança em sua proteção, rogo-lhe que interceda por mim diante de Deus,dignando-se lançar um olhar sobre este seu humilde devoto.

Como a uma das esposas eleitas de Cristo, dirijo-lhe confiantemente o meu pedido de que me sustente no sofrimento, fortifique-me nas tentações, proteja-me dos perigos que me rodeiam, obtendo-me as graças de que tanto necessito, em particular (especifique, aqui, o seu pedido)...

Acima de tudo, espero contar com a sua santa assistência na hora da minha morte.

Santa Joana, pela sua poderosa intercessão junto de Deus, rogai por nós!

Santíssima Trindade, nunca cessaremos de Lhe agradecer pelas graças concedidas à bem-aventurada sempre virgem Maria e à Sua serva Santa Joana, e pela intercessão de ambas imploramos, mais uma vez, que tenha piedade de nós. Amém.


Oração a Santa Joana D'arc
Ó Santa Joana D’Arc, vós que, cumprindo a vontade de Deus, de espada em punho, vos lançastes à luta, por Deus e pela Pátria, ajudai-me a perceber, no meu íntimo, as inspirações de Deus. Com o auxílio da vossa espada, fazei recuar os meus inimigos que atentam contra a minha fé e contra as pessoas mais pobres e desvalidas que habitam nossa Pátria.

Santa Joana D’Arc, ajudai-me a vencer as dificuldades no lar, no emprego, no estudo e na vida diária. Ó Santa Joana D’Arc atenda ao meu pedido (pedido). E que nada me obrigue a recuar, quando estou com a razão e a verdade, nem opressões, nem ameaças, nem processos, nem mesmo a fogueira.

Santa Joana D’Arc, iluminai-me, guiai-me, fortalecei-me, defendei-me. Amém!

Dica de leitura

Dica de filme

Dica de série (a arma mística chamada de Witchblade é tida como pertencente a guerreira Joana D'arc)


Devem estar se perguntando os meu leitores que aguentaram ler tudo isso: O que tem haver esta postagem no Santuário do Metal? Agora sim...




"Camisa de Vênus é uma banda de rock brasileiro que foi formada em Salvador em 1980 e encontra-se em atividade até hoje. Fez grande sucesso no cenário brasileiro dos anos 80, sendo uma banda tida como mais suja do que as outras pelo seu nome (na época era muito utilizado como sinônimo de preservativo) e pelos palavrões nas letras. Suas principais músicas são Bete Morreu, Eu Não Matei Joana D'Arc, Simca Chambord, Deus Me Dê Grana e Só o Fim.


Em 1984, sai o segundo álbum da banda, chamado Batalhões de Estranhos. O disco traz uma banda mais madura e com melhores recursos de estúdio à sua disposição, o que proporciona a realização de um som mais polido e menos agressivo. O segundo álbum da banda traz mais um sucesso radiofônico, Eu Não Matei Joana D'Arc e eles saem novamente em turnê.


Agora em 2009, a banda anuncia a volta oficial, porém, não conta com a presença do vocalista Marcelo Nova, do baterista original Aldo Machado e nem do baixista Robério Santana. Ambos foram substituídos por Eduardo Scott (ex-Gonorréia) nos vocais, Louis Bear na bateria, e Jerry Marlon, no baixo.

Recentemente, a banda lançou de forma independente a coletânea Mais Vivo do Que Nunca, com Scott interpretando os clássicos que foram eternizados na voz de Marcelo. Em 2014, lança sua terceira temporada com apenas Gustavo Mullem e Karl Hummel da formação original, mais Eduardo Scott nos vocais, mas agora contando com Ivan Oliveira no baixo e Cloud na bateria."

Membros atuais

Eduardo Scott: vocal.
Gustavo Mullem: guitarra solo.
Karl Hummel: guitarra base.
Ivan Oliveira: baixo.

Cloud: bateria.

Batalhões de Estranhos é o segundo álbum de estúdio da banda baiana Camisa de Vênus, lançado em 1984 pela gravadora RGE.
N.ºTítuloCompositor(es)Duração
1."Eu Não Matei Joana D'Arc"  Gustavo Mullem / Marcelo Nova3:44
2."Casas Modernas"  Gustavo Mullem / Marcelo Nova2:36
3."Lena"  Karl Hummel / Marcelo Nova4:51
4."Ladrão de Banco"  Karl Hummel / Gustavo Mullem / Marcelo Nova3:34
5."Gotham City"  Capinan / Jards Macalé3:32
6."Noite e Dia"  Karl Hummel / Marcelo Nova2:44
7."Crime Perfeito"  Karl Hummel / Marcelo Nova3:15
8."Rosto e Aeroportos"  Gustavo Mullem / Marcelo Nova3:52
9."Hoje"  Karl Hummel / Marcelo Nova3:42
10."Cidade Fantasma"  Karl Hummel / Marcelo Nova3:09
11."Batalhões de Estranhos"  Karl Hummel / Marcelo Nova2:26
12."Coiote no Cio (Pink Panther)"  Henry Mancini



*vamos ver o fundo histórico da letras, apesar de algumas palavrinhas desagradáveis, ok?

Eu nunca tive nada
Com Joana Darc
Nós só nos encontramos
Prá passear no parque...
Ela me falou
Dos seus dias de glória
E do que não está escrito
Lá nos livros de história...
Que ficava excitada
Quando pegava na lança
E do beijo que deu
Na rainha da França...
Agora todos pensam
Que fui eu que a cremei
Mas eu não sou piromaníaco
Eu juro que não sei...
Ontem eu nem a vi
Sei que não tenho um álibi
Mas eu!
Eu não matei
Joana Darc...(2x)
Eu nunca tive
Nada, nada, nada
Com Joana Darc
Nós só nos encontramos
Prá passear no parque...
Ela me falou
Que andava ouvindo vozes
Que prá conseguir dormir
Sempre tomava algumas doses...
Uma rede internacional
Iludiu aquela menina
Prometendo a todo custo
Transformá-la em heroína...
Agora eu tô entregue
À CIA e à KGB
Eles querem que eu confesse
Mas eu nem sei o quê...
Ontem eu nem a vi
Sei que não tenho um álibi
Mas eu!
Eu não matei
Joana Darc...(2x)
Eu não matei
Joana Darc...(2x)
Ontem eu nem a vi
Sei q'eu não tenho um álibi
Mas eu!
Eu não matei
Joana Darc...(2x)
Não!
Não fui eu!
Não, não, não!
Não fui eu!
Não!
Não fui eu!
Não, não, não!
Ontem eu nem a vi
Sei q'eu não tenho um álibi
Mas eu!
Eu não matei
Joana Darc...(2x)
Referências:


http://encontrocomcristo.com.br/oracao-a-santa-joana-darc/

http://pt.wikipedia.org/wiki/Camisa_de_V%C3%AAnus

Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Santuário do Metal - 2012. Todos os direitos reservados.
Criado por: Raquel Alves.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo