14 maio 2012

Luna Obscura


Originalmente formado em 2000 em Serrai, na Grécia, Luna Obscura é uma mistura de Heavy, Atmospheric e Melodic Metal . Em maio de 2004, LO lançou seu primeiro  demo sob o nome "Darcanda", que foi produzido e mixado por Steve Dickins e Papachristos Dimitris na STV Studios. Recebeu ótimas críticas de inúmeras revistas de metal europeu.


Em Dezembro de 2008 LO lançou seu primeiro álbum sob o nome "Feltia". Editado e mixado por   210 Studios (Berlim), Studios STV (Grécia) com os produtores Stamos Koliousis e Dickins Steve e masterizado no Finnvox Studios (Finlândia) por Mika Jussila. (To Die For, Nightwish, Moonspell, Children Of Bodom, Sonata Arctica, Amorphis, Apocalyptica, etc)

"Feltia" é liricamente inspirado na psicologia humana, momentos na vida cotidiana, os sentimentos das pessoas, os  comportamentos ... o cd é uma  poesia de vanguarda e cânticos .  Incluí 11 trakcs poderosos .

No final, LO é a eterna dança entre o amor e o ódio quando a beleza encontra a  "Morte"!

Membros: Aris Potonos - Harsh Male Vocals, Gogo Melone - Female Vocals, Dimitris Papachristos - Guitars / Orchestral Programming, Stratos Kountouras - Bass
DISCOGRAFIA


Darcanda - 2004







1.Symphony Of Sighs

2.With My Demons I'll Celebrate My Fall

3.A Grief Observed








Feltia - 2008




1.Enochian Chant

2.The Burden of Solitude

3.Oronar

4.Ex Caelis Oblatus

5.Symphony of Signs

6.Codex Daemonicus 1516

7.Ancient One

8.Waltz Into Darkness

9.Away

10.Dance of Forsaken Souls

11.5 Visions






O Fardo da Solidão

Como almas atormentadas estamos deitados no chão
Lagrimas dos segredos estão manchadas em nossa pele
Iremos sentir novamente o calor do sol?
No final da noite morreremos como em nossos sonhos

Veludo são os espinhos que nos fazem sangrar
Silenciosos são os momentos de nossos desejos
iremos ouvir novamente nossos gritos silenciosos?
No final do dia nos tornaremos fogo

O fardo da solidão......

...e nós estamos procurando pelo desconhecido
Onde o destino não faz parte
Um véu negro de graças cobrindo nossos olhos
Cegos nós seguinos nossos corações
Oceanos do passado

{e eu susurro sob a lua:
"Cauterize-me com sua luz...despa-me do meu fardo
Tire minha dor....e então me deixe só
E me deixe denovo...na minha fria eternidade....")

Como anjos esquecidos estamos enterrados nas cinzas
Plavras de luxúria e tristesa escritas em nossas mãos
Iremos ver a luz da dor novamente?
E no final da vida retornaremos ao pó

Proibidas são as esperenças que nos trarão alegria
Sem esperanças estamos percorrendo o caminho da ignorancia
Iremos sonhar com o paraiso novamente?
E no final do tempo nos tornaremos sombras

O Fardo da solidão......

Nenhum comentário:

Postar um comentário

© Santuário do Metal - 2012. Todos os direitos reservados.
Criado por: Raquel Alves.
Tecnologia do Blogger.
imagem-logo